Logo

Portal da Prefeitura


Operação Combate ao “Aedes aegypti” já inspecionou mais de 4,3 mil residências em São José dos Pinhais

Publicado em 18 de fevereiro de 2016 às 17:00

O  general Flavio Marcus Lancia Barbosa esteve em São José dos Pinhais e acompanhou os trabalhos das equipes (Foto: Divulgação/PMSJP)

 

Desde o último sábado (13) o Exército Brasileiro está em São José dos Pinhais realizando a Operação Combate ao Aedes aegypti (mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika), ação que realiza em conjunto com a Prefeitura de São José dos Pinhais, em um trabalho que já percorreu oito bairros e já inspecionou cerca de 4,3 mil residências. A operação envolve cerca de 70 militares da 5ª Divisão do Exército, de quatro quartéis, sob o comando do tenente coronel de Artilharia Sanzio Ricardo Rocha Gusmão, além de 30 servidores municipais envolvidos.

Na tarde de quarta-feira (13) o comandante de Artilharia Divisionária “Marechal Setembrino de Carvalho”, 0  general de brigada Flavio Marcus Lancia Barbosa, esteve em São José dos Pinhais e acompanhou os trabalhos das equipes. “O general veio supervisionar os trabalhos de campo, questionou os militares, acompanhou algumas vistorias e entrou em algumas residências. Ele ressaltou que a educação deve ser uma das prioridades na prevenção, por isso disponibilizou os militares também para palestras e orientação em instituições de ensino do Município”, conta o diretor do Departamento de Promoção e Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, Odevair da Silva Mathias.

De acordo com Mathias, que também acompanha as equipes, a operação já percorreu os bairros Colônia Rio Grande, Santo Antônio, Itália, Aristocrata, Cidade Jardim, Independência, Guatupê e Ipê. “São locais onde rotineiramente são encontrados possíveis criadouros, tanto de Aedes aegypti como de Aedes albupictus, que também pode transmitir a dengue”.

Mathias explica que no Município já foram identificados Aedes aegypti, uma vez que a Cidade é cortada por rodovias federais, e seus ovos podem se alojar em cargas e ser transportado. “Recentemente localizamos foco do mosquito Aedes aegypti em uma carga de pneus que veio de Paranaguá”.

Além de orientar, as equipes realizam a remoção de resíduos que possam ser possíveis criadouros e entregam o material educativo. “Já distribuímos mais de 100 mil panfletos nestes últimos dias. Em geral as equipes têm sido bem recebidas, mas fomos impedidos de entrar em dois condomínios e em algumas residências”, conta Mathias que ressalta que a falta de consciência da população leva ao surgimento descontrolado de criadouros.

Denúncias
Até o ano passado a Secretaria de Saúde recebia em torno de seis denúncias de possíveis criadouros de mosquitos por semana. Com a campanha nacional esse número saltou para mais de 30 denúncias ao dia, o que aumentou a demanda de serviços das equipes. “Temos vistoriado todas as situações dentro de um programa, já que são muitos chamados. As equipes quando vistoriam orientam para que o morador no mesmo momento resolva a questão e elimine o possível criadouro. Quando o acúmulo de entulhos é grande, ou a situação não pode ser resolvida naquele momento, o morador é notificado e tem de 24 a 48 horas para resolver o problema. Caso não resolva, a Prefeitura faz a limpeza e depois toma as medidas administrativas necessárias”, concluiu Mathias.

Denúncias de possíveis criadouros do mosquito podem ser feitas no Portal da Prefeitura  www.sjp.pr.gov.br no link Fale Conosco.

 

RÁDIO PREFEITURA

 

dengue_foto_silvio_ramos_pmsjp (3)

Denúncias de possíveis criadouros do mosquito podem ser feitas no Portal da Prefeitura www.sjp.pr.gov.br no link Fale Conosco (Foto: Divulgação/PMSJP)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

dengue_foto_silvio_ramos_pmsjp (1)

Além de orientar, as equipes realizam a remoção de resíduos que possam ser possíveis criadouros e entregam o material educativo (Foto: Divulgação/PMSJP)