Logo

Portal da Prefeitura


Nutes realiza ação na XV de Novembro na quinta-feira (01) para lembrar a importância do Dia mundial da luta contra Aids

Publicado em 30 de novembro de 2016 às 15:08

Os profissionais do Nutes também estarão realizando ações de prevenção ao HIV nas Unidades de Saúde, UPAs, CRAS, CAPS TM e AD e Centro POP entre os dias 28/11 até 02/12 (Foto: Divulgação/PMSJP)

Os profissionais do Núcleo Municipal de Testagem e aconselhamento em Saúde (NUTES), promoveM nesta quinta-feira (01), na Rua XV de Novembro, uma ação junto a população, com o objetivo fornecer informações, esclarecer dúvidas sobre o vírus HIV e alertar para os riscos da doença. Durante o evento será oferecido o teste rápido para diagnóstico e eventual encaminhamento para início de tratamento.

Os profissionais do Nutes também estarão realizando ações de prevenção ao HIV nas Unidades de Saúde, UPAs, CRAS, CAPS TM e AD e Centro POP, entre os dias 28/11 até 02/12, com distribuição de material informativo e  preservativos.

Doença Grave

A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids) é uma doença crônica, infecciosa, causada por um retrovírus, o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), que se caracteriza pela progressiva destruição do sistema imunológico humano. A evolução natural da infecção pelo HIV caracteriza-se por intensa e contínua replicação viral que, em sua forma mais grave, se manifesta pelo surgimento de diversas infecções oportunistas, que podem levar à morte. A Aids surgiu no início da década de 1980, e ainda hoje é  um grave problema de saúde pública devido ao crescente número de novos casos e as elevadas taxas de mortalidade causadas pelo vírus.

Anualmente, o Ministério da Saúde –   em alusão ao Dia 1º de Dezembro – Dia Internacional de Combate ao HIV/AIDS  – propõe uma mobilização nacional   para colocar em evidência a necessidade da prevenção e do diagnóstico precoce.  Para este ano São José dos Pinhais está promovendo uma campanha que envolve diversas ações de prevenção entre os dias 28/11 e 02/12.

Serviço

O Núcleo Municipal de Testagem e Aconselhamento em Saúde (NUTES) está localizado na Rua Voluntários da Pátria, 1393 – São Pedro, e atende de segunda a sexta-feira, das 9 às 16h. Entre os serviços oferecidos está o Teste Rápido para HIV, Sífilis, Hepatite B e C . O resultado fica pronto em até 30 minutos, é gratuito e sigiloso. Não é necessário o encaminhamento médico para realizar o Teste Rápido. Informações: (41) 3282-4455

Sao Jose dos Pinhais, 26 de Maio de 2015 (Sems) - Campanha de Prevencao a Hanseniase. (Foto: Ary Portugal)
RDJ_3813-700x466

 

A doença pode demorar anos até apresentar sintomas que abalem a saúde do indivíduo, por isso estes tem a falsa impressão que não precisam tomar a medicação, muitas vezes não tem a percepção a longo prazo do que pode acontecer, entram em um processo de negação de seu diagnóstico”, trecho do artigo da psicóloga do Núcleo Municipal de Testagem e aconselhamento em Saúde, Renata Savaris que aborda a estigmatizarão em torno da AIDS e de como deve ser enfrentada. Confira:

O Estigma e o HIV

Apesar dos avanços da medicina em relação ao tratamento do HIV as questões emocionais permanecem as mesmas de anos atrás para quem recebe o diagnóstico positivo para o vírus nos dias atuais. O impacto do diagnóstico desperta muitos sentimentos negativos ao paciente, como o medo da morte, de infectar outras pessoas, do preconceito e da rejeição em novos relacionamentos afetivos.

No dia-dia do NUTES é possível observar a pouca informação da população no momento do aconselhamento das pessoas que procuram o teste rápido sobre formas de transmissão e preconceito relacionado ao HIV.
Vivências percebidas na rotina do trabalho do Núcleo após o diagnóstico são: dificuldades conjugais, questões de fidelidade e sentimentos de culpa, assim como o medo de perder o (a) parceiro(a).

Apesar do tratamento existente ser muito eficaz e disponível gratuitamente existem muitos casos de abandono, e os motivos recorrentes são: abuso de álcool, drogas, depressão, ansiedade, sentimento de culpa e negação da doença. A doença pode demorar anos até apresentar sintomas que abalem a saúde do indivíduo, por isso estes tem a falsa impressão que não precisam tomar a medicação, muitas vezes não tem a percepção a longo prazo do que pode acontecer, entram em um processo de negação de seu diagnóstico.
O início do tratamento também é um momento difícil, é quando a doença passa a ser concreta com o início do medicamento e os efeitos colaterais dificultam a adesão.

A Aids pode ser considerada um adoecimento que estigmatiza o indivíduo infectado, a Psicóloga Maria Helena Pereira Franco relata que a Aids passou por transformações médicas ao longo de sua história. Atualmente se fala em uma doença crônica e em pessoas que carregam seu significado criado no passado. Segundo a mesma Psicóloga a pessoa ao saber do diagnóstico, carrega mais que o vírus, seu diagnóstico revelaria a sociedade como era seu estilo de vida, colocando sua vida privada em julgamento.

O medo de ser estigmatizado aparece no comportamento das pessoas relatados na rotina dos atendimentos como, troca de embalagem dos medicamentos, ir a locais para tratamento longe de seu bairro ou até da sua cidade, auto-estigmatização com afastamento da família, do trabalho e abstinência sexual.
A questão do preconceito é outro tema freqüente nos atendimentos aos pacientes que relatam terem passado por situações constrangedoras após a família ter o conhecimento do seu diagnóstico.

Vivemos em um mundo com HIV e não com alguns indivíduos infectados, é necessário apostar em uma mudança, ampliar ações individuais e coletivas, para assim ter uma resposta coletiva contra o estigma relacionado ao vírus HIV.

Renata Savaris é Psicóloga do NUTES – Núcleo Municipal de Testagem e aconselhamento em Saúde de São José dos Pinhais