Logo

Portal da Prefeitura


Feira da Economia Solidária no calçadão da Rua XV vai até o próximo sábado

Publicado em 8 de maio de 2017 às 17:20

A Feira de Economia Solidária deste ano reúne 48 artesãos capacitados e certificados pela Prefeitura, que se revezam durante toda a semana nas sete barracas cedidas pela Secretaria de Trabalho. (Foto: Edison Renato/PMSJP)

A Secretaria de Trabalho de São José dos Pinhais promove até o próximo dia 13 (sábado), a Feira de Economia Solidária, montada no calçadão da Rua XV, onde 48 artesãos da cidade estarão se revezando em sete barracas para poderem expor e venderem seus trabalhos.

A Feira é parte do programa de orientação da Secretaria, onde todos os empreendedores passam por uma série de oficinas, com a abordagem dos mais variados temas, para poderem entrar no Programa Municipal de Economia Solidária, que tem como última etapa a participação na feira.

“Este ano temos 10 novos empreendedores, que participam pela primeira vez de uma feira para vivenciar o cotidiano desses eventos, como montar os produtos nas barracas, enfrentar o clima, realizar os revezamentos de expediente, fazer a troca de experiências com os demais, uma etapa muito importante”, explica o secretário municipal de Trabalho, Marcos Setim.

Auto Gestão

A Feira de Economia Solidária deste ano reúne 48 artesãos capacitados e certificados pela Prefeitura, de oito grupos diferentes, com cada grupo com no mínimo cinco artesãos, que se revezam nos horários de atendimento para poderem participar das feiras que acontecem na cidade e em Curitiba e região – “Com o trabalho em grupo os artesãos conseguem atender a todas essas feiras”, destaca Cássia Ramos, da Divisão de Economia Solidária da Secretaria de Trabalho.

Todos os participantes devem produzir as mercadorias, já certificadas pela Prefeitura, e é vedada a revenda de produtos.  “Mesmo sendo um programa institucional, quem decide toda a gestão do negócio, como irão trabalhar, expor, dividir os horários, como será dividido o dinheiro das vendas e como será aplicado, tudo é decidido pelos empreendedores como um grupo, em um sistema de auto gestão, onde não existem chefes, dessa forma é incentivada a cooperação, solidariedade, o respeito as diferenças , o respeito ao meio ambiente, essa é a razão de realizarmos as oficinas, para inseri-los nos princípios básicos da economia solidária”, completa Cássia.

(Foto: Edison Renato/PMSJP)

(Foto: Edison Renato/PMSJP)

(Foto: Edison Renato/PMSJP)

(Foto: Edison Renato/PMSJP)

(Foto: Edison Renato/PMSJP)

(Foto: Edison Renato/PMSJP)

(Foto: Edison Renato/PMSJP)